Você está em Home > Entrevistas > Entrevista com HC-137

Entrevistas

HC-137

Do césio ao punk - a história do HC-137

Aurélio, Flávio e João. Três figuras que participaram ativamente do início do movimento punk em Goiânia. E continuam até hoje. Em entrevista para o GOIANinROCK, muita conversa, algumas discordâncias e diversas histórias engraçadas. O assunto da noite era HC-137. Sem dúvidas, uma das bandas que marcou a cena rock goianiense.

Não se sabe ainda se o nome do grupo surgiu junto com a sigla ou depois dela. Flávio acha que depois. Aurélio tem certeza que não. Fato é: a banda que ficou conhecida como Horrores do Césio 137 gravou um vinil com músicas cuja temática variavam em torno desse assunto. E marcaram o rock goiano, em uma época em que gravar disco não era tarefa fácil.

Flávio participou da primeira formação do HC-137, responsável pela gravação de uma demo. Em seguida, entrou Aurélio. Para ele, essa foi uma época em que a maior preocupação dos integrantes da banda era o som. Queriam protestar, mas através da música. E isso foi um diferencial para a qualidade sonora do grupo. Já João Punk, apesar de não ter tocado na HC-137, viveu intensamente esse período e conta sobre as divisões que ocorriam dentro da própria cena punk.

Claudio Antônio, idealizador da HC-137 e também criador do primeiro selo de Goiânia, o Subway, não poderia deixar de ser mencionado. Visionário e empresário nato, foi um dos responsáveis por impulsionar não apenas o movimento punk, mas também o heavy metal na capital goiana. Como os headbangers superavam em muito o número de punks da cidade, Claúdio trazia diversos discos de bandas de metal para vender em sua loja. Mesmo sendo punk.

Histórias interessantíssimas num papo pra lá de descontraído. Vale a pena conferir e entender um pouco sobre como funcionava o início da cena punk goianiense.

 

Assista à entrevista:

       


» Fora do Eixo Goiás
» Goiânia Rock City
» Goiânia Rock News
» Heavyrama
» Jurassik Dark
» Licor de Chorume
» Sem reais